Pages

Friday, 19 May 2017

pao low carb


19 may 2017

1 ovo. 1 cs farinha de linhaça. 1 cs farinha de coco. Sal (usa açúcar para pão doce). 1 colherinha chia e 1 de aveia. 1 colherinha fermento.
Mistura tudo. Fogo baixo ou grade dobrada no fogão. Um pouco de óleo na frigideira. Coloca massa na frigideira e espalha com colher. Tampa e deixa dourar dois ou três minutos de cada lada. 
Comer com ovos mexidos ou requeijão. Gostei desse pão, que fica pequeno. 
NOTA: esse pratinho eh de sobremesa e a xícara eh miúda


não aguentei comer o pão todo, mesmo ele sendo pequeno. acho que estou com problemas com ovo e não sei mais o que, mas não ta fácil. 
tenho tido problemas grandes e constantes para me alimentar, principalmente no almoço/ refeições principais. 

Tuesday, 9 May 2017

invigorating early morning walk

snap from my 8may2017 early morning walk

9 may 2017

ontem fiz uma caminhada maravilhosa de manhãzinha. acordei 4h50 porque iria para o TJ para uma reunião com Des Fernando. quando vou para o TJ ou para a Escola preciso acordar bem mais cedo e caminhar menos ou mesmo nem fazer caminhada. esses dois lugares ficam tão longe da casa da minha irmã, onde estou passando esses dias, que se não sair de casa no máximo 6h20 da manhã, corro o risco de não encontrar estacionamento. no TJ eu pago um monte de dinheiro para estacionar, R$ 6,00 por hora. outro dia paguei quase 30 reais. tô fora! ai prefiro ir mesmo de madrugada, acordar mais cedo para assegurar minha caminhada.

e ontem fiz uma caminhada maravilhosa. como é bom!!! saio da casa da Kassandra com dia bem escuro, noite mesmo, ali no segundo quarteirão encontro muitos postes acesos e vou seguindo. ando sozinho, sentindo o dia nascer, escutando o canto dos passarinhos, e botando meu corpo para acordar e se mexer. que sensação incrível. todo dia passo por um segurança do condomínio durante a caminhada.

comecei andando 25 a 30 minutos. agora já caminho até mais de 40 minutos. tenho levado água comigo e tomo uns golinhos de vez em quando, para não passar mal. com essas caminhadas quero me preparar para fazer caminhadas mais longas e difíceis. meu sonho é fazer trilhas, a pé e também de bicicleta. com a caminhada acho que vou ficando mais forte, resistente e perdendo o medo de me distanciar de casa e enfrentar o desconhecido.

quero estar bem quando for viajar no final de junho, porque com o mike é sempre muita, mas muita mesmo, caminhada. e quero aproveitar cada minuto dessa viagem da melhor forma possível. estou mais magra, mais leve, e sentindo que estou mais forte. mas ontem senti dores no meu joelho esquerdo, que é operado de desvio de patela. acho que é dor associada à patela, não ao meu peso. o joelho direito já não dói mais nada mesmo. por conta da dor e do grande cansaço, resolvi não ir caminhar hoje de manhã, apesar de ter acordado bem cedo. ontem fui dormir pouco depois de 22h. geralmente tenho ido para a cama pouco depois de 21h, com a mamãe. hoje de tarde tenho ginástica com a personal. vai ser bom.

viva o lindo amanhecer e a harmonia com a natureza!

ps.: a fotografia é do reflexo das árvores na piscina do condomínio. quanta beleza!

Monday, 8 May 2017

three months later


happy to see myself 24.6kg lighter

 8 may 2017

this past Saturday 6 May was three-month anniversary of my vertical sleeve gastrectomy. the count of the weight dates back from three weeks. in 16 January i saw my surgeon and he prescribed a pre op diet to me. i left his surgery straight to Bom Bocado, a fast food place, where i ate loads, as if the food of the world would finish soon or as a frentic farewell to sin. that was good because i have been thinking that i need no excesses no more, since i have already had soooo many excessive eating behaviour in my life. learn from experienced, Morena!

well, on the 17 January, a Tuesday, i started the strict diet. it was basically protein, fruits and veggies. i had never eaten so many eggs in my life.

essa é a dieta:
7H: ovos e frutas (abacate, maçã, pera, kiwi, ameixa)

9H: fruta e castanha (se for castanha do Pará comer só duas)

12H: carne e verdura - todas (exceto: batata, beterraba, cenoura)

15H: igual a 9H

18H: igual a 12H

22H: livre para repetir 9H / 15H

- pode: beber água de coco. beber bastante água
- não pode: leite e nem seus derivados. carboidratos não pode nenhum
- não pode comer mais nada depois de 22H 

 fiz essa dieta com cuidado e atenção, com pouquíssimos pecados. uma vez comprei uvas passas e as comi com castanhas. foram três finais de semanas na dieta. comi umas variações ótimas de omelete de presunto. foi muito bom me entregar à dieta e ali mesmo começar a me sentir bem, bem mesmo. no terceiro dia de dieta senti meu corpão mais leve ao me virar na cama. incrível!!! no começo eu comia dois ovos no café da manhã. no final comia só um. dava certo. um dos 'excessos' que fiz, talvez nem seja excesso, mas tenho certeza que era necessário, foi comer saladas de frutas. fiz algumas vezes saladas de mamão com laranja e banana e abacate. meu intestino me preocupa e funciona mal demais. aí quando fiquei esses dias sem comer o cereal tudo piorou, mas com a salada de frutas eu tinha paz.

no segundo domingo da dieta fomos almoçar num restaurante argentino aqui, chamado 'Cabaña del primo'. comi uma picanha cozinha, mas não era grande. mais tarde fui embora e passei na patisserie Favorito, onde comprei três coisas para comer. eu queria comer aquilo tudo ali naquele domingo, como despedida dos excessos. comprei uma barquete de chocolate meio amargo, um doce de coco, nem lembro o nome, mas era bom, e um outro lá. me sentei lá e comecei a comer depressa. eram, juntando os três, grande a porção. então pensei que não tinha sentido empurrar aquelas sobremesas goela abaixo sem saborear nada. pedi que as empacotassem pra mim e fui embora. passei no supermercado. deixei-as no carro, ficaram molinhas com o calor. cheguei em casa e os coloquei no congelador. terminei de comer o que tinha começado na patisserie ali naquele domingo, vendo tv.

o peso em quilogramas (kg):
118.3 no dia 17 jan 2017
112.1 no dia 6 fev 2017, dia da cirurgia. emagreci 6.2 com essa dieta ótima e me operei me sentindo seguramente mais leve, sem medo do excesso de gordura no meu fígado. foi muito show o resultado dessa dieta 
93.7 no dia 6 mai 2017, sábado passado, três meses pós cirurgia
 
assim, 24.6kg é o que contabilizo de emagrecimento nesse período.

estou muito feliz. muito feliz!!!


Friday, 5 May 2017

sai pra lá

snap from my 5.10am walk - starting the day with an open heart
   
5 may 2017

helloooo!!!
here i am, back to blogging!

eu quero muito voltar a postar aqui aqui sobre minha vida. ando cansada de tanto facebook e instagram. tô decidida a ir lá no facebook e apagar pelo menos 150 pessoas dos mais de 600 contatos que tenho. tem um monte de gente que vive só de brechar a vida dos outros, sem nunca dizer um bom dia ou perguntar como estou ou me dizer como está. não falo de comentários nem de likes, falo de contato mesmo, real, através de mensagem. se a pessoa nunca que nunca fala comigo, pode ser minha amiga? no facebook eu já sou, e isso faz muito tempo, muito suave e discreta com minha vida pessoal, com pouquíssima exposição pessoal.

mas quero mesmo é contar um fato desagradável que aconteceu hoje aqui na cozinha de onde eu trabalho. atualmente trabalho no JECC Zona Norte 2 - Pedra Mole. Pedi transferência para cá para ficar mais perto da minha mãe e poder dar mais assistência a ela. tem sido muito bom isso.

sim, mas na cozinha, para onde desci hoje para esquentar uma água para fazer um cafezinho, encontrei a Ilana e outra moça que não sei quem é, usando um jaleco. talvez seja estudante da área de saúde, já que esse prédio aqui pertence a uma faculdade onde os estudantes fazem suas práticas. a Ilana me ofereceu pão e bolo para merendar, mas comentou que eu não podia comer. a Ilana comentou que tem comido de tudo e ainda assim emagreceu cinco quilos. ela já sabia que eu desci para esquentar água para fazer um nescafé e tomá-lo com adoçante. o café daqui é todo feito com açúcar. não dá pra mim, mesmo! aí eu aproveitei e comentei com as duas que fiz cirurgia bariátrica e por isso tenho restrições alimentares. para mim isso tudo é uma decisão minha, muito importante na minha vida. mal eu fechei a boca, a moça do jaleco disse 'aí volta o peso tudo de novo'. me deu vontade de dar um tapa nela.

nós do grupo de bariátricos bem sabemos que tem sempre esse tipo de gente com essa conversa. por que será? será que ela considera que está me ensinando a lição da roda? há uma teoria que aponta para o incômodo causado pela inveja. seja o que for, tá combinado com falta de educação e intromissão na vida alheia. a Ilana saiu da cozinha, e ela continuou falando. continuei de costas pra ela e não lhe dei a mínima atenção. nem conheço ela. tava vendo ela ali pela primeira vez e já tendo esse desprazer. vai encher o saco do penca! ela ficou falando e disse que emagreceu uns quilos e depois os engordou de volta.

Deus sabe meu sofrimento diário, minhas angústias de ainda como vai ser minha vida futura. o presente se revela a cada dia, nem sempre fácil, com um cardápio de comida restrito e que me faz, frequentemente, vomitar; e que me dá entalos terríveis muitas vezes. não posso nem pensar em tomar água nem antes e nem logo depois de nenhuma refeição, porque isso desencadeia vômito garantido.

fiz a cirurgia bariátrica no dia 6 de fevereiro de 2017. estou tendo uma recuperação boa, apesar dos episódios de mal estar, que fazem mesmo parte do processo. comecei a fazer ginástica há um mês atrás e tenho tambem feito caminhadas bem cedinho da manhã. além disso, de olho no que que e quanto como, sempre. ainda não retomei vida social, e nem sei como isso vai ser, mas tudo tem seu tempo. na hora Deus vai me ajudar a lidar bem com os desafios.

outro dia, sábado passado, dia 29/4/17, fui jantar no restaurante coco bambu com a mamãe e a cuidadora dela, a Maria. comemos um 'peixe meuniere', grelhado, com vegetais salteados no azeite e arroz de brócolis. comi pouco, apenas peixe e vegetais. nem toquei no arroz. passados alguns minutos o mal estar tomou conta de mim. quando vem, o vômito não espera um minuto sequer. acho que, mesmo comendo muito pouco, comi depressa demais. a gente nem se dá conta que come depressa, que avança na comida. graças a Deus, quando piorei a mamãe e a Maria já estavam terminando de jantar. eu pedi a conta rapidão e saímos voando. elas ficaram sentadas num banca enquanto eu vaga saindo e entrando do banheiro, massageando o bolo indigesto de comida francesa no meu peito. caminhei de um lado pro outro por uns bons cinco minutos, cuspi muito no vaso sanitário, até o jato de vômito chegar. na hora de vomitar eu abro o vaso sanitário e não olho para o vômito. não consigo. fecho os olhos e mando ver. vomitei duas vezes ali mesmo no banheiro do restaurante.

depois desse vômito fiquei me sentindo doente, com o estômago dolorido, um mal estar que não passou, como sempre acontece nos outros vômitos. acho que meu estômago ficou inflamado, cansado de passar mal. eu já tinha almoçado o almoço do mesmo sábado. vomitei o almoço uma vez. passados bem mais de 20 minutos tomei um pouquinho d'água e vomitei de novo, agora provocado pela água, eu acho. pense!

mas vou seguindo, firme e com fé em Deus.

ontem a nutricionista me passou instruções para a dieta. vamos em frente.

ps.: o 'sai pra lá' do título desse post é para a mulher desagradável da cantina, não é para os vômitos. eu desejo sim que eles não aconteçam mais, mas cabe a mim também ser mais cuidadosa, comer mais devagar, e ter mais sorte. ao fim e ao cabo, eles fazem parte desse momento da minha vida. paciência.

Thursday, 17 October 2013

"Prima il dovere, poi il piacere"

Querido leitor,


Também ando com saudades de você. Não tenho conta das vezes que pensei e pensei e pensei em escrever um post sobre o muito que tem acontecido por aqui. Não consegui. Andei tão ocupada e consumida pelo trabalho e por umas doses poucas, porém especiais, de lazer, que terminei usando o pouco tempo livre para me entregar ao nada, igualmente especial.

Os últimos meses aqui têm sido difíceis. Quinta-feira passada, 10 de Outubro, foi a primeira vez, nesse ano de 2013, que fui sozinha para o centro da cidade e fiz coisas sozinha, livre, com o dia pra mim. Circulei, entrei em lojas, almocei, e até fiz uma aula num curso de pintura em aquarela, onde pintei um prato. Foi tão bom! O efeito relaxante foi maravilhoso. E assim distraí o pensamento e descansei a mente.

Cumpri uma etapa importante na conclusão da tese e só agora diminui minha jornada de quatorze horas por dia, seis dias por semana, trabalhando umas quatro ou cinco horas no domingo. Trabalhava quase 12 horas na universidade, ia pra casa, jantava, e trabalhava mais 1.40 ou duas horas de noite, quando fazia mais leituras e revisões.

Foi quase como se eu não existisse, joguei tudo no trabalho; mas procurei ter alguma medida pra dar atenção também à vida pessoal. Por duas vezes, em semanas diferentes, minhas baterias descarregaram completamente e só consegui sair da cama em torno de 9 horas da manhã. Nesses dias fiquei em casa e cuidei de coisas pessoais que andavam esquecidas, como lavar roupa, ver tv e ignorar o mundo lá fora. Cuidar da vida pessoal, arrumar meu espaço e descansar um pouco são importantes para eu retomar o trabalho mais renovada.

Sempre faço no começo do dia uma lista do que fazer. Nessa lista boto tudo, coisas bem simples e pessoais e também da tese. Ela sempre me ajuda a organizar as ações do dia e a ver que as ‘incontáveis’ coisas que tenho para fazer não são sufocantes e posso, listando e decidindo o que fazer primeiro, dar conta do serviço. Listo de azul e vou marcando de vermelho o que fiz, para ter a sensação boa de ir caminhando. A lista também me ajuda a variar as atividades, porque às vezes fico exausta e sem um pingo de vontade de mexer num capítulo que precisa de revisão, mas posso fazer outra coisa.

Nessas semanas intensas deixei de ir a Londres duas vezes com o Mike e perdi um monte de momentos sociais por aqui, priorizando o trabalho. Ainda assim fui a três festivais de música com o Mike e tive chás e jantares com algumas amigas de vez em quando. É uma ginástica doida de interesse e cansaço físico para fazer tantas coisas. Até a supermercado deixei de ir, pra não perder quase 2 horas do dia. Tô cansada, mas também gostei muito e fiquei acostumada a esse ritmo que provou ser produtivo. Nesse período adorei escrever um artigo para a Revestrés número 10 que está nas bancas em Teresina.

O que tem me ajudado muito a atravessar esses dias intensos tendo sido eu, ao chegar no escritório na universidade, meditar e rezar antes de começar a trabalhar. Aí sinto que minha cabeça fica limpa, leve e preparada para o dia. Outra coisa que faço sempre é estar na cama, durante a semana, antes de meia noite.
Aprecio uma boa noite de sonho e procuro, mesmo trabalhando muito, ter uma medida de equilíbrio, senão desanda tudo.

E nesse ritmo o tempo mudou e o outono tem trazido dias mais curtos e frios, às vezes com chuvas brandas que eu adoro, como foi ontem. A foto do post é da manhã chuvosa de ontem, em Portswood Road, uma rua onde há muitas lojas e por onde passo sempre a caminho da universidade.

Pois é, e assim aconteceu essa minha ausência prolongada do blog, não intencional. Perdoe aí, caro leitor.

A propósito, o que você tem feito? Me conte de você.

Sunday, 1 September 2013

Chef Morena: Cuca de maçã

1 September 2013 


Faz dias que penso em fazer essa cuca tão rápida e fácil. Interessante que ela me impulsionou a escrever esse post, que fazia dias dançava no meu peito sem achar forma ou tom, para quebrar o silêncio no blog. Como disse antes, o momento de completar um projeto na cozinha me faz muito bem e me ajuda com a produção acadêmica, às vezes me livrando de um entrave. O PhD tá fervendo e me pressionando e me angustiando como nunca. Os prazos me sufocam e, ao invés de sempre me motivarem a acelerar, às vezes me presenteiam com dias pouco férteis.

Graças a Deus nada pode ser tudo e tenho tido também dias felizes. Visitamos as ruínas de uma abadia e de um castelo, tudo muito antigo e cheio de história; e depois fomos jantar num restaurante mexicano em Port Solent. Colhemos morangos e framboesas nos campos e em seguida caminhamos pela praia e tomamos sorvete em tarde de frio suportável. Fiz uma torta linda e gostosa dessas frutas silvestres. Fui muitas vezes ao pub com amigos para um chá, uma limonada com coca cola ou uma cider e umas tapas e conversa sem fim, porque sem lavar o peito Chico diz que ‘ninguém segura esse rojão’. Fiz umas caminhadas renovadoras no Common Park. E, aproveitando cada sopro de domingos ensolarados, fizemos semana passada nosso sexto churrasco do verão, que acabou oficialmente ontem.

O outono chegou e promote, e cumpre, dias mais frios e mais curtos, para que a gente não esqueça que a vida passa, o tempo passa, tudo passa, as coisas mudam, as flores morrem e caem no outono e no inverno; e florescem de novo, renascendo na brisa da primavera fértil de cores vibrantes e de vida nova, e também de alergias. Isso mesmo, não se pode ter tudo.  

Essa receita é da Carol Alfaro. Segui a receita direitinho nos passos e medidas.

Chef Morena: Cuca de maçã

Ingredientes

Para a massa:
1 copo de farinha de trigo
½ copo de açúcar
½ copo de óleo
1 colher de chá de fermento químico
2 ovos
1 colher de chá de extrato de baunilha

Misture todos esses ingredientes da massa, que fica bem pesada. Espalhe a massa em uma forma pequena [usei uma forma de pão / bolo inglês, retangular], untada. Usei papel manteiga e ainda passei manteiga no papel para a cuca não grudar.

Para a cobertura:
Por cima dessa massa corte sua fruta do dia. Fiz com duas maçãs vermelhas, ralei raspas de tangerina, sobre as maçãs pelo sabor crítico e pela cor linda amarelinha e dei uma chuviscada de canela e uns fios de mel [Carol sugere maple syrup]. Por curiosidade deixei metade de uma maçã com a casca. Casquinha campeã.

Carol também sugere a opção de três bananas misturadas com açúcar mascavo, canela e limão. Me aguarde, bananinha querida.

Leve ao forno médio para assar. Delícia ainda morna com um cafezinho fresco em tarde chuvosa e em boa companhia; mas excelente também para a pessoa que está sozinha. Bem saborosa também fria. 

Friday, 16 August 2013

A eclética Clara Pittam

16 august 2013


Conheci a Clara faz algum tempo, quando ela fez um comentário no meu blog pessoal, thesotontimes. Conversamos sempre, ela me manda receitas, é incrivel a quantidade de amigos que temos em comum; mas ainda falta a gente marcar um chá qualquer tarde dessas para finalmente se conhecer pessoalmente.
Convidei a Clara para falar sobre a vivência dela aqui e no Brasil e agora compartilho com vocês essa história de vida bem interessante. Observe o alerta que ela faz sobre conhecer pessoas na internet.

Kalina: Fale um pouco de você: o que estudou, de onde vem, família. Onde você mora: em Londres? centro? 
Clara: Eu sou a Clara, (Clarinha para os íntimos) fui morar em Teresina em 2001, para fazer faculdade. Morava no Pará antes, comecei a faculdade de Publicidade e Propaganda e logo depois meus pais se mudaram para Teresina, filha única sempre fui muito ligada aos meus pais. Desde o final de 2009 moro em Londres na zona 6, que é fora do centro de Londres para ir para o centro de Londres podemos ir de Trem que demora uns 16min or 25min, dependendo do trem. 

Amor:
Sou casada com um inglês há quatro anos, nos conhecemos pela internet. No início de Janeiro 2009 Stuart me mandou um e-mail, e começamos a trocar  e-mail, depois de algum tempo começamos a conversar pela web-cam, até que eu percebi que já era uma rotina diária, via webcam, sms e telefonemas. No mês de março Stuart foi a Teresina para me conhecer. Fui pegá-lo no aeroporto junto com meu Pai e melhor amigo Vicente. Durante aqueles dias eu confirmei tudo que já tinha percebido nas nossas conversas por email, webcam, sms e telefonemas, que ele realmente é um  homem com o Pé no chão, do bem e que te passa calma e segurança.

Acho que a ideia de conhecer alguém pela internet assustou meus pais, mas eles sempre foram pais abertos e sempre conversei muito com eles sobre todos os assuntos, e de uma forma muito natural e sem PREconceitos eles abriram o coração para entender e conhecer aquele rapaz que tinha atravessado o oceano Atlântico somente para conhecer a filha deles, e hoje em dia meus pais tem o filho que sempre quiseram ter.

Meus amigos ficaram preocupados, o que achei natural, já que escutamos tantas notícias tristes sobre encontros pela internet. Lembro que nessa primeira vez minha grande amiga Thais organizou uma festinha na casa dela e levei o Stuart para conhecer meus amigos. Stuart se divertiu muito, e todo mundo gostou de cara dele; foram logo pedindo ele para vestir a camisa do Flamengo e claro encheram o Stuart de Picanha (Stuart é como um brasileiro amaaa um churrasco). 

Noivado e casamento:
Stuart voltou para me ver em Maio novamente e, com minha ajuda, conversou com meus pais e me pediu em casamento. Em Junho ele me visitou de novo e em Julho vim passar um mês na Inglaterra para conhecer a família dele. Em Agosto casamos em Teresina.
Quando
é verdadeiro e pra valer você sente algo diferente de tudo que já sentiu.       
O que eu quero dizer com tudo isso? Nesses sites de encontros da internet tem muita gente legal, mas também tem muita gente que não tem boas intenções; você e o único que pode observar isso. Siga sua intuição e se perceber que está tendo segundos pensamentos
é porque no fundo você já sabe que o que está se propondo a fazer talvez não vai dar certo.    

Lua de mel:
Tivemos três meses de lua de mel, viajando para o Rio de Janeiro, Buzios, Curitiba, Foz do Iguaçu, Santiago (Chile), Valparaiso (Chile), Deserto do Atacama (Chile), e finalizamos em Veneza (Italia). Foi ótimo, aprendemos sobre novas culturas, conhecemos pessoas muito legais e nunca vamos esquecer da nossa Lua de Mel. Stuart sempre gostou da cultura brasileira, já conhecia São Paulo, Rio e Salvador; e na lua de mel aprendeu mais da nossa cultura.

K: O que acha de Londres? UK/Reino Unido?
Clara: Eu gosto muito daqui, aqui você encontra uma mistura muito boa de culturas, Londres é uma cidade muito cosmopolita o que eu adoro, você sai nas ruas de Londres e vê pessoas falando em diferentes línguas. É uma torre de Babel, mas sem o caos.   

K: O que é bom de morar aqui?
Clara: O que me faz gostar daqui são as facilidades que você tem, saúde, transporte público, educação que funcionam, o grande acesso à cultura, arte e lazer.


K: Cite duas ou três coisas / ou viagens bem interessantes / inesquecíveis que você fez morando aqui.
Clara: Inglaterra e um País lindo especialmente na primavera e verão, viajamos mais para fora do País não fazemos muitas viagem aqui, das que fizemos gostei muito da Região dos Lagos, Beal em Northumberland (entre Inglaterra e Escócia), e Cambridge.

K: Você adquiriu novos hobbies aqui? como foi isso?
Clara: Adquiri a paixão pela fotografia, sempre que posso tento comprar lentes novas e outros acessórios para minha câmera.
Aprendi a cozinhar e fazer bolos, hoje em dia nos meus dias de folga adoro ficar na cozinha e criar coisas novas. 
Jardinagem é outro novo hobby. 

K: E as viagens? 
Clara: Viajamos umas 2 or 3  vezes no ano, sempre escolhemos lugares com praias e mais quente, tentamos fugir do frio um pouquinho.

K: Cite algumas das viagens (duas ou tres) que voce mais gostou e porque gostou do lugar / país.
Clara: Pergunta difícil hein Kalina? Rsrsr eu adoro viajar sempre fui assim desde pequena fazendo as minha malas todo vez que a palavra viajar aparecia... Das viagens que que mais gostei:
Tailândia, amei o lugar muito parecido com o Brasil, fiquei apaixonada pelas pessoas que são super educadas e respeitosas e a comida maravilhosa.
Deserto do Atacama (Chile) um lugar mágico, muito calmo e tranquilo o lugar transmite PAZ.
Egito lindo e encantador conhecer a História deles, uma cultura totalmente diferente do que já tinha visto antes, já que o pais e dividido entre mulçumanos e Cristões. 

K: Quem são seus amigos aqui? 
Clara: A grande maioria dos meus amigos aqui são ingleses, amigos que fiz nos lugares que trabalhei e amigos do meu marido que se tornaram grandes amigos meus, tenho uma amiga mineira que já mora aqui alguns anos.

K: Como tem sido sua vida profissionalmente aqui? O que você já tinha feito no Brasil e que gostaria de continuar a fazer aqui?
Clara: Eu já voluntariei em uma loja que ajuda crianças carentes, e também para a Anistia Internacional. Ano passado eu consegui um trabalho na minha área trabalhando com mídia, mas infelizmente meu contrato chegou ao fim e no momento estou procurando outro trabalho na mesma área.

K: Voces tem planos de ter uma familia grande, bem grande? tipo quatro filhos?hehehe
Clara: Pensamos sim, queremos dois, mas no momento queremos curtir e viajar mais, filhos mais para frente rsrs.

K: O que não é bom aqui? Se quiser, cite um, dois ou três momentos que você viveu aqui e que foram muito difíceis para você.
Clara: Não tem muitas coisas aqui que eu não goste, aqui é claro tem uma cultura bem diferente da nossa, e isso pra mim não se gosta ou desgosta se aceita, até porque cada um de nós somos diferentes. 
Tive que me readaptar a essa cultura e talvez isso tenha sido um pouco desafiador mais não diria difícil. 

K: Do que sente você falta?
Clara: Sinto saudades dos meus pais, da família e dos amigos, sinto falta do calor humano, do povo conversador que conversa com você mesmo não te conhecendo, não que o inglês seja assim frio é que a cultura deles e assim mais na deles.

K: No momento você tem vontade de voltar a viver no Brasil um dia?
Clara: No momento não, mais nunca direi nunca quem sabe um dia volto para o Terra Brasilis

K: Que conselhos você daria a quem quer viver aqui? em Londres ou no Reino Unido.
Clara: Absorve a cultura inglesa, ela é bem interessante, procure fazer amizades com eles (ingleses), entenda a comunidade em que você vive, e evite fazer as coisas como você fazia no Brasil, faça diferente, faça como é feito aqui, isso ajuda na adaptação, pois na minha opinião a partir do momento que você deixa seu País e vai morar em outro País você está deixando a sua cultura e indo entender e viver outra cultura e porque não se abrir para essa nova experiência/cultura?  

K: Você pode dar um exemplo desse ‘faça diferente, faça como é feito aqui’?    
Clara: Não deixe para fazer as coisas em cima da hora (Inglês e muito organizado), se planeje com antecedência, tipo quando quero convidar nossos amigos para jantar aqui em casa eu mando e-mail com 3 meses de antecedência, a agenda de todo mundo aqui é lotada porque eles planejam tudo com tempo.


K: Muito obrigada, Clara. Adorei saber mais sobre você.